Comunicação, mito e sincronicidade: um olhar sobre a obra de Mircea Eliade

Carolina Moura Klautau

Resumen


Um olhar compreensivo sobre as obras O mito do eterno retorno e O sagrado e o profano, do mitólogo Mircea Eliade. As narrativas míticas de diferentes culturas se relacionam mais por significados do que por causa e efeito. Assim, entendemos mito e comunicação como duas formas de orientação no mundo, introduzindo em seguida a noção de sincronicidade (de Carl Gustav Jung e Wolfgang Pauli) como possível chave de ligação entre os mitos. No “tecer junto” da compreensão como método, dialogamos com diferentes saberes em nosso percurso – mito, comunicação, psiquiatria e física moderna. Cremilda Medina, Joseph Campbell e Dimas Künsch emprestam seus olhares a este trabalho.

Texto completo:

PDF

Referencias


ARAÚJO, Alberto Filipe; BERGMEIER, Horst. 2013. Jung e o tempo de Éranos. Do sentido espiritual e pedagógico do Círculo de Eranos. @mbienteeducação. São Paulo, v. 6, n.1, p. 94-112., jan/jun. Disponible en: [consultado el 27 abril 2018].

BARBOSA, Marialva Carlos. 2009. Comunicação e história: presente e passado em atos narrativos. Comunicação, mídia e consumo. São Paulo, v. 6 n. 16, p. 11-27. Disponible en: [consultado el 27 abril 2018].

CAMPBELL, Joseph. 2007. O herói de mil faces. São Paulo: Pensamento.

CAPRIOTTI, Letícia. 1998. Jung e sincronicidade: a construção do conceito. Symbolon [S.l.]. Disponible en: [consultado el 30 oct. 2018].

CHAUÍ, Marilena. 2000. Convite à filosofia. São Paulo: Ática.

ELIADE, Mircea. 2010. O sagrado e o profano: a essência das religiões. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes.

ELIADE, Mircea. 1992. Mito do eterno retorno. São Paulo: Mercuryo.

GRINBERG, Luiz Paulo. 1997. Jung: o homem criativo. São Paulo: FTD.

JUNG, Carl Gustav. 2016. Sincronicidade. 21. ed. Petrópolis: Vozes.

JUNG, Carl Gustav. 2012. Símbolos da transformação. 8. ed. Petrópolis: Vozes. (OC; 5).

KLAUTAU, Carolina Moura. 2018. Jornalismo, incerteza e complementaridade de opostos: um diálogo compreensivo. 268 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Faculdade Cásper Líbero.

KÜNSCH, Dimas. 2005. Comprehendo ergo sum: epistemologia complexo-compreensiva e reportagem jornalística. Communicare. São Paulo, v. 5, n. 1, p. 43-54.

KÜNSCH, Dimas; CARRARO, Renata; KLAUTAU, Carolina. 2018. Jornalismo interpretativo e a compreensão como método: o abraço entre o antigo e o novo na arte de tecer o presente. En: Vozes em diálogo: estudos de comunicação contemporânea. São Bernardo do Campo, SP: Editora Metodista. [no prelo]

KÜNSCH, Dimas; KLAUTAU, Carolina. 2017. Jornalismo e Compreensão: uma aposta da ciência que está por vir. En: Seminário da Associação Latino-americana de Pesquisadores da Comunicação, 9, 2017, Goiânia. Caderno de Resumos. Goiânia: Alaic.

KÜNSCH, Dimas; MENEZES, José Eugênio; PASSOS, Mateus Yuri. 2017. Conhecimento, compreensão e cultura: aspectos intersubjetivos e epistemológicos da compreensão como método. In: Encontro Anual da Compós, 26, São Paulo. Anais do 26° Encontro Anual da Compós. São Paulo: Compós, p. 1-23. Disponible en: [consultado el 27 abril 2018].

LANGER, Johnni. 2013. Cometas, eclipse e Ragnarök: uma interpretação astronômica da escatologia nórdica pré-cristã. Mundo Antigo. Campos dos Goytacazes, ano II, v. 2, n. 4, p. 67-91. Disponible en: [consultado el 27 abril 2018].

LANGER, Susanne. 2004. Filosofia em nova chave. São Paulo: Perspectiva.

LIMA, Gerson Moreira. 2002. Jornalismo interpretativo: a alternativa para o dilema imposto pela mídia digital. 255 f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Universidade de São Paulo.

LIMA, Jorge Antônio Monteiro de. 2015. Transdisciplinaridade na obra de C. G. Jung e suas influências na atualidade. Plurais. Anápolis, v. 5, n. 1, p. 61-80, jan./jun. Disponible en [consultado el 27 abril 2018].

MAFFESOLI, Michel. 2007. O conhecimento comum: introdução a uma sociologia compreensiva. Porto Alegre: Sulina.

MEDINA, Cremilda. 2003. A arte de tecer o presente: narrativa e cotidiano. São Paulo: Summus.

MEDINA, Cremilda; LEANDRO, Paulo Roberto. 1973. A arte de tecer o presente: jornalismo interpretativo. São Paulo: Edição dos Autores.

SHELDRAKE, Rupert. 2013. Por uma ciência livre de dogmas: depoimento. Tríade, Sorocaba, SP, v.1, n.2, p.427-458, dez. Entrevista concedida à Mônica Martinez.


Resumen : 16 PDF : 11

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Copyright (c) 2019 Folios, revista de la Facultad de Comunicaciones

Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project