Building Ethnic Racial Identities in Literacy Events at a Municipal Schoolin São Paulo

Claudia Lemos Vóvio, Estevão Armada Firmino

Abstract


This article covers literacy events in Education towards Ethnical Racial Rela-tions, situated in the Reading Room of a public school of the Fundamental Level in São Paulo, Brazil. The object is to focus on the mediation of processes of construction of identities, specially that which relates to the ethnical racial condition of students, by means of the analysis of discursive dynamics and the elements which constitute these events. It is a qualitative study made up of class-es in that three events were selected involving the participation of the teacher and his students between 9 and 10 years of age. The results suggest that these events contributed to destigmatize and review stereotypes as far as both the Af-rican Continent and black Africans and Brazilians go, as well as to produce new meanings and facing these social constructs, observing the ways we learn to be what we are within the school environment.

Keywords


identity; ethnic racial education; reading room; literacy events

References


Bakhtin, M. ([1975] 1993). Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. São Paulo: Unesp; Hucitec.

Barton, D. e Hamilton, M. (2004). La literacidad entendida como práctica social. Em V. Zavala,M. Niño-Murcia, e P. Ames, Escritura y sociedad: nuevas perspectivas teóricas y etnográficas. Lima: Red para el Desarrollo de las Ciencias Sociales en el Perú.

Brasil. (2003). Lei N.º 10.639, de 09/01/2003. Brasília: Diário Oficial da União, Poder Legislativo, 10/01/2003.

Brasil, MEC, Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial. (2004a). Diretrizes curriculares nacionais para educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afrobrasileira e africana. Brasília: MEC-SEPPIR.

Brasil. (2004b). Resolução N.º 01, de 17/06/2004. Brasília: Diário Oficial da União, Poder Legislativo, 22/06/2004.

Bunzen, C. S. (2009). Dinâmicas discursivas na aula de português: os usos do livro didático e projeto didáticos autorais (tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas.

Bunzen, C. S. (2010). Os significados do letramento escolar como uma prática sociocultural. Em C. Vóvio, L. Sito, y P. de Grande, Letramentos: rupturas, deslocamentos e repercussões de pesquisa em Linguística aplicada (pp. 99-120). Campinas: Mercado de Letras.

Cuche, D. (2002). A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC.

Firmino. E. M. A. (2015). Sala de leitura na rede municipal de São Paulo: reflexões sobre eventos e práticas de letramento com uma turma de 4º ano (dissertação de mestrado). Universidade Federal de São Paulo, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Guarulhos.

Fleuri, R. M. (2003). Intercultura e educação. Revista Brasileira de Educação, 23, 16-35. https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000200003

https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000200003

Garcez, P. e Lopes, M. F. R. (2017). Oportunidades de aprendizagem na nova ordem comunicativa da fala-em-interação de sala de aula contemporânea: língua espanhola no Ensino Médio. Trab. Ling. Aplic., 1(56), 65-75. https://doi.org/10.1590/010318135160183301

https://doi.org/10.1590/010318135160183301

Gomes, N. L. (2005). Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. Em Brasil. Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei federal N.º 10.639/03 (pp. 39-62). Brasília: MEC-Secretaria de Educação Continuada e Alfabetização e Diversidade.

Gomes, N. L. (2012). Práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva da Lei 10.639/03. Brasília: MEC-UNESCO.

https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000100003

Gomes, N. L., e Jesus, R. E de. (2013). As práticas pedagógicas de trabalho com relações étnico-raciais na escola na perspectiva de Lei 10.639/2003: desafios para a política educacional e indagações para a pesquisa. Educar em Revista, 29(47), 19-33. https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000100003

https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000100003

Hall, S. (2000). Quem precisa de identidade? Em T. T. da Silva, Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais (pp. 133-178). Rio de Janeiro: Vozes.

Hamilton, M. (2000). Expanding the new literacy studies: using photographs to explore literacy as social practice. Em D. Barton, M. Hamilton, e R. Ivanic (Orgs.), Situated literacies (pp. 16-34). Londres: Routledge.

Heath, S. B. (1989). Ways with words. Nova Iorke: Cambridge University Press.

Holland, D.; Lachicotte Jr., W.; Skinner, D., e Cain, C. (1998). Identity and agency in cultural worlds. Cambridge, Mass: Harvard University Press.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE-. (2016). PNAD Contínua. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pnad_continua/default.shtm.

INEP. (2015). Escala de desempenho de Língua Portuguesa na Prova Brasil e SAEB. Disponível em: < http://portal.inep.gov.br/web/saeb/resultados-2015>.

Kleiman, A. B. (1995). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras.

Kleiman, A. B. (1998). A construção de identidades em sala de aula: um enfoque interacional. Em I. Signorini (Org.), Linguagem e identidade: elementos para uma discussão no campo aplicado (pp. 115-138). Campinas: Mercado de Letras; São Paulo: Fapesp.

Kleiman, A. B. e Sito, L. R. S. (2016). Multiletramentos, interdições e marginalidades. Em A. B. Kleiman e J. A. Assis (Orgs.), Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita (pp. 169-198). Campinas: Mercado de Letras.

Lahire, B. (2004). Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática.

Lahire, B. (2017). Leituras populares: modos de apropriação de texto. Em R. Visser e L. Junqueira, (Orgs.), Dossiê Bernard Lahire. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Macedo, M. do S. A. N. (2005). Interações nas práticas de letramento: o uso do livro didático e da metodologia de projetos. São Paulo: Martins Fontes.

Marinho, M. (2010). Letramento: a criação de um neologismo e a construção de um conceito. Em M. Marinho e G. T. Carvalho (Orgs.), Cultura escrita e letramento (pp. 68-100). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Matêncio, M. de L. M. (2001). Estudo da língua falada na aula de língua materna. Campinas: Mercado de Letras.

Matêncio, M. de L. M. (2009). Estudos do letramento e formação de professores: retomadas, deslocamentos e impactos. Caleidoscópio, 7(1), 5-10.

https://doi.org/10.4013/cld.2009.71.01

Moita-Lopes, L. P. da. (2002). Identidades fragmentadas: a construção discursiva de raça, gênero e sexualidade em sala de aula. Campinas: Mercado das Letras.

Moita-Lopes, L. P. da (2013). O português no século XXI: cenário geopolítico e sociolinguístico. São Paulo: Parábola Editorial.

Mozdzenski, L. P. (2012). O ethos e o pathos em videoclipes femininos: construindo identidades, encenando emoções (tese de doutorado). Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Artes e Comunicação,

Recife.

Munanga, K. (2008). Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Polido-Silva, N. E. da. (2012). Sala de leitura da rede municipal de ensino de São Paulo: caminhos possíveis para redimensionar seu funcionamento (tese de doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Rojo, R. H. R. (2010). Letramentos escolares: coletâneas de textos nos livros didáticos de língua portuguesa. Perspectiva, 28(2), 433-465.

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2010v28n2p433

Rojo, R. H. R. (2013). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola Editorial.

São Paulo (Cidade). (2015). Portaria N.° 7.655, de 17/12/2015. Diário Oficial de São Paulo.

São Paulo (Cidade). (2018). Sala de Leitura: 45 anos formando leitores. São Paulo : Secretaria Municipal de Educação (SME0; Coordenadoria Pedagógica (COPED).

SEADE. Índice Paulista de Vulnerabilidade Social. Disponível em: http://www.seade.gov.br/indice-paulista-de-vulnerabilidade-social-ipvs-versao-2010Sito, L. R. S. (2010). Ali tá a palavra deles: um estudo sobre práticas de letramento em uma comunidade quilombola do litoral do estado do Rio Grande do Sul (dissertação de mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas.

Sito, L. R. S. (2016). Escritas afirmativas: estratégias criativas para subverter a colonialidade em trajetórias de letramento acadêmico (tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas.

Soares, M. (2010). Práticas de letramento e implicações para a pesquisa e para políticas de alfabetização e letramento. Em M. Marinho e G. T. Carvalho (Orgs.), Cultura escrita e letramento (pp. 54-67). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Souza, A. L. S. (2009). Letramentos de reexistência: culturas e identidades no movimento Hip Hop (tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, Campinas.

Street, J. C. e Street, B. V. (2004). La escolarización de la literacidad. Em

V. Zavala, et al. (Eds.), Escritura y sociedad: nuevas perspectivas teóricas e etnográficas (pp. 181-201). Lima: Red para el Desarolllo de las Ciencias Sociales en el Perú.

Street, B. (2014). Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. São Paulo: Parábola Editorial.

Viana, C. A. D., Sito, L. R. S., Valsechi, M. C. e Pereira, S. L. M. (2016). Do letramento aos letramentos: desafios na aproximação entre letramento acadêmico e letramento do professor. Em A. B. Kleimane J. A.

Assis, J. A. (Orgs.), Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita (pp. 27-62). Campinas : Mercado de Letras.

Volochinov, V. (2017). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Editora 34.

Vóvio, C. L., e Souza, A. L. S. (2005). Desafios metodológicos em pesquisas sobre letramento. Em A. Kleiman, e M. de L. M. Matencio, (Orgs.), Letramento e formação do professor: práticas discursivas, representações e construção do saber (pp. 41-64). Campinas: Mercado de Letras.

Vóvio, C. L., e De Grande, P. B. (2010). O que dizem as educadoras sobre si: construções identitárias e formação docente. Em C. L. Vóvio, L. S.

Sito, e P. B. de Grande (Orgs), Letramentos: rupturas, deslocamentos e repercussões de pesquisas em Linguística Aplicada (pp. 51-70). Campinas: Mercado de Letras.




DOI: https://doi.org/10.17533/udea.ikala.v24n02a07 Abstract : 115 PDF (Português (Brasil)) : 122

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project