Laço, ritual, máscara e mimese: um olhar para o brincar sob a ótica da compreensão

Tadeu Rodrigues Iuama

Resumen


Este ensaio passeia pelo campo das relações entre brincar e comunicar. Para tanto, a partir da etimologia do verbo brincar, identifica a aderência entre essa ação e a comunicação, tal como esta vem sendo entendida no âmbito do Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia (Cisc), grupo de pesquisa integrado ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Relaciona-se comunicação e religião em Miklos, religião e ritual em Eliade, ritual e jogo em Huizinga. A partir daí, amplia-se o escopo do estudo dessa temática em Caillois, chamando-se ao mesmo tempo a atenção para o conceito de mimese em Gebauer e Wulf. A ideia central é que a ação de brincar pode ser circundada de uma maneira compreensiva, ao se utilizarem olhares teóricos distintos, de áreas do saber diversas, procurando assim abraçar novos horizontes para a compreensão como método.

Texto completo:

PDF

Referencias


BAITELLO JUNIOR, Norval. 2012. A ciência dos vínculos. En: BORNHAUSEN, Diogo; MIKLOS, Jorge, SILVA, Maurício Ribeiro. da (Orgs.). CISC 20 anos: comunicação, cultura e mídia. São José do Rio Preto: Bluecom Comunicação, p. 11-25. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

BYSTŘINA, Ivan. 2009. Tópicos de semiótica da cultura. São Paulo: CISC (pré-print). Disponible en:: [consultado el 15 oct. 2017].

CAILLOIS, Roger. 1990. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Lisboa: Cotovia.

CONTRERA, Malena Segura. 2005. Ontem, hoje e amanhã: sobre os rituais midiáticos. Famecos, Porto Alegre, v. 12, n. 28, p. 115-123. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

ELIADE, Mircea. 1992. O sagrado e o profano. São Paulo: Martins Fontes.

EPICURO. 1997. Carta sobre a felicidade (a Meneceu). São Paulo: UNESP.

GEBAUER, Günter; WULF, Christoph. 2004. Mimese na cultura: agir social, rituais e jogos, produções estéticas. São Paulo: Annablume.

HUIZINGA, Johan. 2017. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva.

JUNG, Carl. Gustav. 2013. Tipos psicológicos. Petrópolis: Vozes.

KÜNSCH, Dimas. A.; AZEVEDO, Guilherme; BRITO, P.edro D.; MANSI, Viviane. R. (Orgs.). 2014. Comunicação, diálogo e compreensão: São Paulo: Plêiade. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

KÜNSCH, Dimas A.; PASSOS, Mateus Y.; BRITO, Pedro. D.; MANSI, Viviane. R. (Orgs.). 2016. Comunicação e estudo e práticas da compreensão. São Paulo: UNI. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

MENEZES, José. Eugenio de O.; MARTINEZ, Monica. 2014. Do Ego para o Eco-sistema: vínculos e afetos na contemporaneidade. Comunicologia – Revista de Comunicação da Universidade Católica de Brasília, Brasília, v. 7, n. 1, p. 263-280. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

MIKLOS, Jorge. 2010. A construção de vínculos religiosos na cibercultura: a ciber-religião 145f. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

MORIN, Edgar. 2007. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina.

NACHMANOVITCH, Stephen. 1993. Ser criativo: o poder da improvisação na vida e na arte. São Paulo: Summus.

SILVA, Maurício Ribeiro da. 2013. Na órbita do imaginário: comunicação, imagem e os espaços da vida. São José do Rio Preto: Bluecom Comunicação; São Paulo: UNIP. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

STENROS, Jaako. 2015. Playfulness, play, and games: a constructionist ludology approach. 373f. Tese (Doutorado em Information Studies and Interactive Media) – School of Information Sciences, University of Tampere, Tampere. Disponible en: [consultado el 15 oct. 2017].

WINNICOTT, Donald Woods. 1975. O brincar e a realidade. Rio de Janeiro: Imago.


Resumen : 9 PDF : 11

Métricas de artículo

Cargando métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Copyright (c) 2019 Folios, revista de la Facultad de Comunicaciones

Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project