Care management in nursing within emergency care units

Roberta Juliane Tono de Oliveira, Patrícia Madalena Vieira Hermida, Fernanda Hannah da Silva Copelli, José Luís Guedes dos Santos, Alacoque Lorenzini Erdmann, Selma Regina de Andrade

Abstract


Objective. Understand the conditions involved in the management of nursing care in emergency care units.

Methodology. Qualitative research using the methodological framework of the Grounded Theory. Data collection occurred from September 2011 to June 2012 through semi-structured interviews with 20 participants of the two emergency care units in the city of Florianopolis, Brazil.

Results. Hindering factors to care management are: lack of experience and knowledge of professionals in emergency services; inadequate number of professionals; work overload of emergency care units in the urgent care network; difficulty in implementing nursing care systematization, and need for team meetings. Facilitating factors are: teamwork; importance of professionals; and confidence of the nursing technicians in the presence of the nurse.

Conclusion. Whereas the hindering factors in care management are related to the organizational aspects of the emergency care units in the urgency care network, the facilitating ones include specific aspects of teamwork.

How to cite this article: Oliveira RJT, Hermida PMV, Copelli FHS, Santos JLG, Erdmann AL, Andrade SR. Care management in nursing within emergency care units. Invest Educ Enferm. 2015; 33(3):


References


(1) Brasil. Ministério da Saúde. Portaria N 1600, de 7 de Julho de 2011. Reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

(2) Santos JLG, Garlet ER, Lima MADS. Revisão sistemática sobre a dimensão gerencial no trabalho do enfermeiro no âmbito hospitalar. Rev Gaúcha Enferm. 2009; 30(3):525-32.

(3) Gehlen G, Lima MADS. Nursing work in care practice at Emergency Care Units in Porto Alegre/RS. Invest Educ Enferm. 2013; 31(1):26-35.

(4) Hausmann M, Peduzzi M. Articulação entre as dimensões gerencial e assistencial do processo de trabalho do enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):258-65.

(5) Erdmann AL, Backes DS, Minuzzi H. Care management in nursing under the complexity view. Online Braz J Nurs [Internet]. 2008; 7(1). Available from: http://www.uff.br/objnursing/index.php/nursing/article/view/1033

(6) Silva AP, Munari DB, Brasil VV, Chaves LDP, Bezerra ALQ, Ribeiro LCM. Trabalho em equipe de enfermagem em unidade de urgência e emergência na perspectiva de Kurt Lewin. Cienc Cuid Saude. 2012; 11(3):549-56.

(7) Santos JLG, Pestana AL, Guerrero P, Meirelles BSH, Erdmann AL. Práticas de enfermeiros na gerência do cuidado em enfermagem e saúde: revisão integrativa. Rev Bras Enferm. 2013; 66(2):257-63.

(8) Chile. Ministerio de Salud. Subsecretaría de Redes Asistenciales. Departamento de Asesoría Jurídica. Aprueba norma general administrativa no. 19, “Gestión del cuidado de enfermería para la atención cerrada”. Santiago: Ministerio de Salud; 2007.

(9) Chistovam BP, Porto IS, Oliveira DC. Gerência do cuidado de enfermagem em cenários hospitalares: a construção de um conceito. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(3):734-41.

(10) Strauss A, Corbin J. Pesquisa Qualitativa: Técnicas e Procedimentos para o Desenvolvimento da Teoria Fundamentada. 2nd Ed. Porto Alegre: Artmed; 2008.

(11) Fernandes MC, Silva LMS, Moreira TMM, Silva MRF. Factors involved in the management of nursing care: a descriptive study. Online Braz J Nurs [Internet]. 2013; 12(3). Available from: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/4081/pdf

(12) Bueno AA, Bernardes A. Percepção da equipe de enfermagem de um serviço de atendimento pré-hospitalar móvel sobre o gerenciamento de enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2010; 19(1):45-53.

(13) Lourenço C, Pinto A, Pereira C, Fonseca C, Nunes I, Almeida MP et al. Confiança versus desconfiança na relação de cuidar: confiança enfermeiro-cliente, um conceito em construção no CHLN-HPV. Pensar Enfermagem. 2001; 15(2):3-13.

(14) Lumer S, Rodrigues PHA. O papel da saúde da família na atenção às urgências. Rev APS. 2011; 14(3):289-95.

(15) Rocha RLP, Velloso ISC, Alves M. Relações entre profissionais de uma Unidade Básica de Saúde e do sistema de atendimento móvel de urgência. Rev Med Minas Gerais. 2009; 19(4):317-24.

(16) Garcia AB, Papa MAF, Carvalho Júnior PM. Estratégia da saúde da família: capacidade da equipe para o atendimento de urgência e emergência. Rev Nursing. 2012; 14(167):216-220.

(17) Garlet ER, Lima MADS, Santos JLG, Marques GQ. Organização do trabalho de uma equipe de saúde no atendimento ao usuário em situações de urgência e Emergência. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(2):266-72.

(18) Sancinetti TR, Gaidzinski RR, Felli VEA, Fugulin FMT, Baptista PCP, Ciampone MHT et al. Absentismo – doença na equipe de enfermagem: relação com a taxa de ocupação. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(n. esp. 2):1277-83.

(19) Araújo M T, Alves M, Gazzinelli MFC, Rocha TB. Representações sociais de profissionais de unidades de pronto atendimento sobre o serviço móvel de urgência. Texto Contexto Enferm. 2011; 20(Esp):156-63.

(20) Randow RMV, Brito MJM, Silva KL, Andrade AM, Caçador BS, Siman AG. Articulação com atenção primária à saúde na perspectiva de gerentes de unidade de pronto-atendimento. Rev Rene. 2011; 12(n. esp.):904-12.

(21) Sisson MC, Andrade SR, Giovanella L, Almeida PF, Fausto MCR, Souza CRP. Estratégia de Saúde da Família em Florianópolis: integração, coordenação e posição na rede assistencial. Saúde Soc. 2011; 20(4):991-1004.

(22) Marin MJS, Marchioli M, Moracvick MYAD. Fortalezas e fragilidades do atendimento nas unidades básicas de saúde tradicionais e da estratégia de saúde da família pela ótica dos usuários. Texto Contexto Enferm. 2013; 22(3):780-8.

(23) Hermida PMV, Araújo IEM. Sistematização da Assistência de Enfermagem: subsídios para implantação. Rev Bras Enferm. 2006; 59(5):675-9.


Abstract : 833 PDF : 779 HTML RESUMEN : 53 HTML INGLES : 450 HTML PORTUGUES (Português (Brasil)) : 218

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project