Documento sin título

ARTÍCULO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE / ARTIGO ORIGINAL

 

doi:10.17533/udea.iee.v33n3a17

 

A qualidade de vida dos cuidadores de octogenários: um estudo com o Whoqol-bref

 

Quality of life of caregivers of octogenarians: a study using the WHOQOL-BREF

 

Calidad de vida de los cuidadores de octogenarios: un estudio utilizando el Whoqol-Bref

 

Alexsandro Silva Coura1; Camila Alves Nogueira2; Fabiana Paulino Alves3; Jamilly da Silva Aragão4; Inacia Sátiro Xavier de França5; Kaio Keomma Aires Silva Medeiros6

 

1Enfermeiro, Doutor. Professor, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB -, Campina Grande, Paraíba, Brasil. email: alex@uepb.edu.br.

2Enfermeira, Especialista. Professora, Faculdades INTA, Campina Grande, Paraíba, Brasil. email: camila_nogueira24@yahoo.com.br.

3Enfermeira, Mestra. Professora, Faculdades de Ciências Médicas - FCM, Campina Grande, Paraíba, Brasil. email: fabiana@elogicasistemas.com.br.

4Enfermeira, Mestranda, UEPB, Campina Grande, Paraíba, Brasil. email: jamilly_aragao@hotmail.com.

5Enfermeira, Doutora. Professora, UEPB, Campina Grande, Paraíba, Brasil. email: inacia.satiro@gmail.com.

6Enfermeiro, Mestrando, UEPB, Campina Grande, Paraíba, Brasil. email: keomma.kaio@gmail.com.

 

Fecha de Recibido: Enero 13, 2015. Fecha de Aprobado: Abril 15, 2015.

 

Artículo vinculado a investigación: Qualidade de vida e condições de saúde de octogenários e cuidadores.

Subvenciones: Ninguna.

Conflicto de intereses: Ninguno.

Cómo citar este artículo: Coura AS, Nogueira CA, Alves FP, Aragão JS, França ISX, Medeiros KKAS. Quality of life of caregivers of octogenarians: a study using the WHOQOL-BREF. Invest Educ Enferm. 2015; 33(3): 529-538

 


RESUMO

Objetivo.Avaliar a qualidade de vida dos cuidadores de octogenários e identificar os domínios correlacionados com a qualidade de vida e saúde.Metodologia. Pesquisa transversal, quantitativa, realizada em 2011, nas Unidades de Saúde da Família de Campina Grande/PB. A amostra compôs-se de 52 sujeitos que atenderam aos critérios de elegibilidade: idade > 18 anos, ser cuidador informal de octogenários e não apresentar problema cognitivo aparente. Aplicaram-se um formulário sobre dados sócio-demográficos e o questionário Whoqol-bref, composto de duas questões referentes à percepção da qualidade de vida e da saúde e 24 referentes aos domínios: físico, psicológico, relações sociais e ambiental. Os dados foram analisados no SPSS, sendo efetuados os testes Alfa de Cronbach e regressão logística. Resultados. O Alfa de Cronbach total foi 0.72, atestando a confiabilidade do instrumento utilizado. Os domínios obtiveram os seguintes escores: ambiental (59.4), psicológico (59.0), aspectos sociais (46.8) e físico (43.8), cujos valores indicam a insatisfação dos sujeitos no tocante às facetas relacionadas com a qualidade de vida. O domínio ambiental possui maior correlação com a qualidade de vida e o domínio físico com a saúde, tendo as facetas segurança diária e dor as maiores correlações com a qualidade de vida e saúde. Conclusão. A percepção dos cuidadores de octogenários sobre sua qualidade de vida não é satisfatória. Os domínios mais relacionados com a qualidade de vida e a saúde são, respectivamente, Ambiental e Físico.

Palavras chave: enfermagem; idoso de 80 anos ou mais; qualidade de vida; cuidadores.


ABSTRACT

Objectives. To evaluate the quality of life of octogenarians and to identify the domains related to quality of life and health.Methodology. A cross-sectional, quantitative study conducted in 2010 in the Family Health Units of Campina Grande/PB, Brazil. The study sample consisted of 52 subjects that met the eligibility criteria of: 18 years or older, being a lay caregiver of octogenarians, and having no apparent cognitive problem. A questionnaire containing a sociodemographic section and the WHOQOL-BREF that is composed of two questions about the perceptions of quality of life and health, and 24 on the physical, psychological, social relationships and environmental domains. Results. The Cronbach's alpha was 0.72, attesting to the reliability of the instrument used. The domain scores were: environmental (59.4), psychological (59.0), social relationships (46.8) and physical (43.8), whose values indicate dissatisfaction of subjects with regard to aspects related to quality of life. The environmental domain was correlated with quality of life and the physical domain with perceptions of health; the daily safety and pain aspects had the highest correlations with quality of life. Conclusion. The perception of the caregivers regarding quality of life was not good. The environmental and physical domains had the highest correlations with quality of life and health.

Key words: nursing; aged, 80 and over; quality of life; caregivers.


RESUMEN

Objetivo.Evaluar la calidad de vida de los cuidadores de octogenarios e identificar los dominios relacionados con la calidad de vida y la salud.Metodología. Investigación de tipo transversal, realizada en 2011 en las Unidades de Salud de la Familia de Campina Grande/PB, Brasil. La muestra estuvo compuesta por 52 personas que cumplieron los criterios de elegibilidad: edad > 18 años, ser cuidador informal de octogenarios y no presentar problemas cognitivos aparentes. Se aplicó un formulario sobre datos sociodemográficos y el instrumento Whoqol-bref, el cual contiene dos preguntas sobre la percepción de la calidad de vida y de la salud y de 24 referentes a los dominios físico, psicológico, relaciones sociales y ambiental. Resultados. El alfa de Cronbach total fue 0.72, mostrando la alta confiabilidad del instrumento utilizado. Los dominios obtuvieron los siguientes puntajes: ambiental (59.4), psicológico (59.0), aspectos sociales (46.8) y físico (43.8), cuyos valores indican la insatisfacción de los cuidadores en los aspectos relacionados con la calidad de vida. Se encontraron correlaciones con significancia estadística entre el dominio ambiental y la calidad, y entre el dominio físico y la salud, teniendo los ítems de seguridad diaria y dolor las mayores correlaciones con la calidad de vida y salud. Conclusión. La percepción de los cuidadores de octogenarios sobre su calidad de vida no es satisfactoria. Enfermería debe preparar a estas personas para que puedan cumplir con su función de cuidar al octagenario y, a la vez, para que puedan disponer de tiempo para cuidar de sí mismos.

Palabras clave: enfermería; anciano de 80 o más años; calidad de vida; cuidadores.


 

INTRODUÇÃO

Devido ao incentivo maior de vários países, as ações preventivas têm impactado sobremaneira os indicadores epidemiológicos, tais como a mortalidade e a fecundidade, os quais têm reduzido sistematicamente. Este cenário, que reflete a melhoria da saúde global, resultou em um aumento significativo no número de idosos, que têm apresentado maior longevidade.1 Em 2010, o Brasil, especificamente, já contava com mais de 11% de idosos, o que o situava como um país em processo de envelhecimento populacional.2 Com base na tendência de crescimento, a projeção é que em 2025 ocupe a sexta posição mundial em quantidade de pessoas idosas.3 No que se refere aos octogenários, pessoas com idade >80 anos, o quantitativo é maior do que 1.6 milhão, algo em torno de 12.8% da população considerada idosa e 1.5% do total de habitantes, sendo projetado um aumento para nove milhões em 2020 e cerca de 14 milhões no ano de 2040.4

O aumento na prevalência de octogenários gera implicações significativas para o Estado, pois vários setores são afetados, tais como a economia e a saúde.3 Com relação à este último aspecto, verifica-se um aumento da incidência de doenças crônico-degenerativas.5 Nestes casos,   quando ocorre déficit físico, a incapacidade funcional pode prejudicar a independência e autonomia dessas pessoas, condição que compromete, além da saúde, a qualidade de vida e, não raro, demanda cuidados permanentes.6,7 Os cuidadores se inserem, no contexto deste estudo, como sendo os indivíduos responsáveis pelo auxilio ou implementação dos cuidados aos octogenários, no âmbito domiciliar, pertencentes ou não a família, de forma a atender as suas necessidades. Em alguns casos, quando os familiares dispõem de recursos, estes são profissionais da área de enfermagem. No entanto, a maioria das pessoas que assumem os cuidados são familiares sem qualificação profissional para tanto.8 Assim sendo, naturalmente os cuidadores enfrentam dificuldades para executar suas atribuições, pois além do comum despreparo profissional, não dispõe de alguém para dividir as responsabilidades. Dessa maneira, possuem uma tarefa árdua, caracterizada por ser repetitiva, incessante e, geralmente, acumulada com outras atividades domésticas e profissionais; resultando em esgotamento, isolamento social, descuido para com sua higiene, tristeza, ocorrência de doenças, como a depressão, e impedimento para realizar atividades de lazer.9,10

Este estudo parte da hipótese de que as atividades desempenhadas pelos cuidadores de octogenários podem impactar negativamente a qualidade de vida. A pertinência do mesmo se apóia na inclusão das temáticas relativas aos idosos na agenda internacional, uma vez que esse grupo populacional tem crescido substancialmente entre os países, bem como no potencial dessa investigação em contribuir com o aperfeiçoamento da práxis dos enfermeiros que atuam na gerontogeriatria e com o desenvolvimento de ações e políticas públicas direcionadas a área. Objetivou-se, assim, avaliar a qualidade de vida dos cuidadores de octogenários e identificar os domínios mais correlacionados com a qualidade de vida e saúde.

 

METODOLOGIA

Pesquisa transversal, com abordagem quantitativa, realizada em 2010, nas Unidades de Saúde da Família (USF) de Campina Grande/PB, Brasil. A população foi composta por 5 831 cuidadores de octogenários que se encontravam cadastrados nas USF existentes no município campinense, durante o período de fevereiro e março de 2010. A amostra foi calculada através da fórmula: n=N.Z2.P(1-P)/(N-1).e2+Z2.(1-P), em que: n=valor da amostra; N=valor da população; Z=intervalo de confiança (1,96); P=prevalência (1.5)4; e=erro tolerado (0,05), obtendo-se um n probabilístico igual a 52. O processo de amostragem ocorreu por conglomerado, considerando cada USF um conglômero. As unidades e os participantes foram sorteados, proporcionalmente, considerando os seis distritos sanitários existentes na cidade.

Os critérios de elegibilidade dos sujeitos foram: idade > 18 anos, prestar cuidados a octogenários, ser cuidador informal e não apresentar problema cognitivo aparente que viesse a prejudicar o preenchimento dos instrumentos de pesquisa. A estratégia de aproximação para coleta de dados foi a visita domiciliar, na qual o pesquisador esteve acompanhado por agentes comunitários de saúde. Neste momento, foram aplicados dois instrumentos: um formulário com questões referentes aos dados sociodemográficos e o questionário WHOQOL-bref.

O WHOQOL-bref é composto de vinte e seis perguntas, das quais duas são referentes à percepção acerca da QV e da saúde e 24 referentes a quatro domínios e os respectivos aspectos de vida: Domínio físico - dependência de medicamentos e de tratamentos, energia e fadiga, sono e repouso, atividades da vida diária, capacidade de trabalho, dor e desconforto; Domínio psicológico - pensar, aprender, autoestima, imagem corporal e aparência, sentimentos negativos e positivos, espiritualidade e crenças pessoais, memória e concentração; Domínio relações sociais - apoio social, relações pessoais e vida sexual; e Domínio ambiental - ambiente no lar, recursos financeiros, ambiente físico (poluição, clima e trânsito), cuidados de saúde e sociais, oportunidades de adquirir novas informações e habilidades, lazer, transporte, segurança e proteção. 11

As respostas para as questões do WHOQOL-bref foram dadas em uma escala do tipo Likert. Em cada domínio as questões formuladas receberam uma pontuação que vai de 1 a 5 conforme as respostas sejam: nada (1), muito pouco (2), médio (3), muito (4) e completamente (5). O escore global obedeceu a uma escala crescente sobre a percepção de qualidade de vida, variando de 0 a 100 pontos.11 Os dados coletados, primeiro, compuseram uma planilha que foi preenchida por dois digitadores independentes para evitar possíveis erros e, posteriormente, foram analisados, com auxílio do IBM SPSS, para Windows versão 17.0. Por meio da estatística descritiva efetuou-se à análise dos valores referentes aos dados sociodemográficos e escores de pontuação dos domínios. Verificou-se a confiabilidade interna do WHOQOL-bref por meio do teste Alfa de Cronbach. Em seguida, realizaram-se oito modelos de regressões logísticas para verificar a correlação entre os domínios e a QV e a saúde: (físico1, psicológico2, relações sociais3, ambiental4 X QV) e (físico1, psicológico2, relações sociais3, ambiental4 X saúde). Para a execução dos modelos considerou-se a QV e a saúde como variáveis dependentes e os aspectos de vida, as independentes, sendo considerada a significância estatística de 0.05.

O projeto foi submetido ao Comitê de ética em Pesquisa (CEP) do Centro de Ensino Superior e Desenvolvimento (CESED), sob o CAAE no 0490.0.133.000-08. Somente depois da aprovação, foi iniciada a coleta dos dados. Todos os critérios estabelecidos pela Resolução 196/96, do Conselho Nacional de Saúde foram respeitados. Sendo assim, os sujeitos foram esclarecidos sobre a pesquisa e assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), assegurando-lhes os direitos de privacidade, sigilo e de declínio na participação sem qualquer tipo de ônus.12

 

RESULTADOS

Perfil sociodemográfico. Entre os 52 participantes, 90.4% (n=47) eram do sexo feminino e 9.6% (n=5) do sexo masculino, indicando uma proporção de 9.4 mulheres para cada homem. A média das idades do grupo foi de 45.25 anos (±18.07; Xmín=18, Xmáx=85). Com relação ao credo religioso, 71.1% (n=37) relataram serem católicos, 23.1% (n=12) evangélicos e 5.8% (n=3) outras crenças. No tocante a escolaridade, 67.3% (n=35) referiram menos de 10 anos de estudo, enquanto 32.7% (n=17) mais de 10 anos. No concernente ao estado civil, 51.9% (n=27) vivem com companheiro, e 48.1% (n=25) sem companheiro (solteiro, viúvo ou divorciado). E sobre as condições financeiras, verificou-se que 92.3% (n=48) vivem com até dois salários mínimos, e 7.7% (n=4) ganham mais de dois salários.

Confiabilidade do instrumento. Por meio do teste alfa de cronbach, verificou-se que o instrumento WHOQOL-bref, utilizado na pesquisa, apresenta boa consistência interna para a amostra estudada, pois o valor do alfa de cronbach total foi de 0.72, atestando fiabilidade satisfatória.

Escores de pontuação dos domínios.  Os domínios que compõem o WHOQOL-bref apresentaram os escores: Domínio ambiental (59.43 pontos); Domínio psicológico (59.01 pontos); Domínio relações sociais (46.77 pontos); e Domínio físico (43.86 pontos); O escore global obtido foi de 52.26 pontos; cujos valores indicam a insatisfação dos sujeitos no tocante às facetas relacionadas com a qualidade de vida.

Correlação dos domínios com a qualidade de vida. Conforme apresentado na (Tabela 1), os testes de regressão logística realizados entre os aspectos de vida de cada domínio - físico, psicológico, relações sociais e ambiental - e a variável qualidade de vida, evidenciaram que o domínio ambiental esteve correlacionado (p=0.014), em detrimento dos demais domínios, que não apresentaram significância estatística de interferência (p>0.05).

Tabela 1.

Entre os aspectos de vida incluídos como variáveis independentes, do domínio ambiental, a percepção sobre a segurança diária foi o que obteve correlação significativa com a QV (p=0.001). Outras correlações, com diferentes facetas, não foram observadas.

Correlação dos domínios com a saúde.  Realizada a regressão logística com a variável Saúde e os aspectos de vida de cada domínio - físico, psicológico, relações sociais e ambiental - cujos resultados estão apresentados na (Tabela 2), o domínio físico esteve correlacionado com a percepção dos cuidadores de octogenários acerca da saúde (p=0.019).

Tabela 2.

Entre os aspectos de vida incluídos como variáveis independentes do domínio físico, a percepção sobre a dor foi a que obteve correlação significativa com a saúde (p=0.001). Outras correlações, com diferentes facetas, não foram observadas.

Aspectos de vida dos domínios ambiental e físico. Embora não seja objetivo principal do WHOQOL-bref avaliar os aspectos de vida de maneira isolada, optou-se por apresentar tais dados referentes aos domínios que apresentaram correlação positiva com a qualidade de vida e saúde dos cuidadores de octogenários - ambiental e físico; entendendo que essas informações podem sugerir algumas possibilidades para compreensão da situação estudada. Verificou-se, na (Tabela 3), que o dinheiro figura como a faceta do domínio ambiental de maior insatisfação entre os cuidadores (96.2%).

Tabela 3.

Em relação ao domínio físico, apresentado na (Tabela 4), o tratamento médico foi gerador de maior insatisfação entre os cuidadores de octogenários (86.6%).

Tabela 4.

 

DISCUSSÃO

O perfil sociodemográfico encontrado no estudo apontou para um predomínio do sexo feminino na função de cuidador das pessoas octogenárias, não sendo excluída a presença do homem nessa atribuição, mesmo que, ainda, em baixo percentual. A literatura justifica a presença majoritária de mulheres como cuidadores, considerando que a diferença entre os gêneros, socialmente existente, contribuiu para que elas tivessem dificuldade de acesso à escola e a formação profissional, fazendo-as envolver-se com atividades domésticas e de cuidado a familiares.9 Ademais, entende-se que a consequência natural do fenômeno que levou as mulheres a não procurar qualificação profissional, quando não é a privação de um emprego, é a informalidade, em geral, com menor remuneração, razão pela qual se acredita que este estudo constatou que a maioria dos cuidadores, além de possuírem escolaridade reduzida, menos de 10 anos de estudo, sobrevive com, no máximo, dois salários mínimos.

A média de idade encontrada entre os participantes do estudo que, como dito, são majoritariamente mulheres, se insere em uma faixa etária considerada avançada. Tais dados são corroborados por outras pesquisas, que evidenciam além do maior número de mulheres na prestação de cuidados a idosos dependentes, uma média de idade semelhante a que aqui foi encontrada.13,14 No que diz respeito à QV dos cuidadores, o domínio ambiental esteve correlacionado, com evidência para a faceta de percepção sobre a segurança diária. Ao analisar a QV dos cuidadores de idosos portadores de deficiência auditiva à luz do Whoqol-Bref, um estudo realizado no estado do Rio Grande do Sul, no Brasil, constatou o domínio do meio ambiente, juntamente com o domínio físico, como sendo os mais relacionados e de maior implicação à QV dos cuidadores.15

No concernente a QV e a saúde dos cuidadores de octogenários, o domínio físico esteve correlacionado, tendo sobressaído a faceta de percepção sobre a dor. Em estudo envolvendo estas temáticas, porém considerando apenas idosos dependentes, além de identificar esta correlação, também se constatou que quanto maior o grau de dependência do idoso, pior a QV do cuidador.16

No presente estudo não foi pesquisado o grau de dependência dos idosos, entretanto, sendo estes octogenários, supõe-se um grau de dependência considerável, o que pode interferir na relação do domínio físico, especialmente a dor, com a saúde do cuidador. Além disso, a ampla correlação entre estas variáveis pode sofrer alguma influência do esforço físico demandado para prestação do cuidado ao octogenário. Uma investigação, realizada com 126 cuidadores de idosos, na cidade brasileira de Campinas, no estado de São Paulo, verificou correlação entre a carga de trabalho dos cuidadores e a dor, além disso, a dimensão dor atingiu o menor escore médio na mensuração da QV desses sujeitos.17  Levantou-se ainda o grau de satisfação dos cuidadores de octogenários acerca dos aspectos de vida dos domínios ambiental e físico. Para o domínio ambiental, verificou-se alto grau de insatisfação com os aspectos financeiros e de lazer. Destes, o aspecto de pior satisfação foi o financeiro, sendo um dado corroborado por um estudo de avaliação da percepção da qualidade do idoso com demência e seu cuidador, que apontou a situação financeira como a de pior percepção pelos cuidadores.18

A insatisfação dos cuidadores com o lazer também merece destaque. Acredita-se que isso se deve, principalmente, à sobrecarga de trabalho devido o ato de cuidar, somado as atribuições domésticas, como cuidar dos filhos, uma vez que, como fora reiteradamente colocado, a maioria são mulheres, historicamente responsáveis por estas atividades. No tocante a insatisfação identificada no âmbito do domínio físico, com o sono e as atividades diárias, compreende-se que a mesma pode decorrer, também, da sobrecarga de trabalho desses cuidadores, o que acarreta alterações negativas sobre a rotina diária. Outras pesquisas indicam que, em geral, indivíduos que desenvolvem a função de cuidador, acabam por se sobrecarregarem com a atividade e têm que suprir outras responsabilidades que lhes são atribuídas, prejudicando sua própria qualidade de vida.17

De forma geral, observa-se que cuidadores de pacientes mais idosos estão insatisfeitos com aspectos da vida relacionados, principalmente, ao ambiente físico, recursos financeiros, serviços de saúde, transporte e itens inclusos no domínio ambiental.19 Essa insatisfação acaba prejudicando esses sujeitos, podendo ser o cuidado às pessoas uma experiência desgastante, levando à piora da QV. Ademais, outro fator que pode interferir na QV dos cuidadores é ausência de capacitação para realizar suas funções. Nessa perpectiva, as peculiaridades do cuidado extrapolam, geralmente, a capacidade das famílias, surgindo a necessidade de cuidadores profissionais. Todavia o cuidado com o idoso normalmente ocorre no domicílio, sendo realizado por um familiar. Portanto, é importante investir no preparo dessas pessoas para que consigam realizar o cuidado com qualidade satisfatória5.

O preparo dos cuidadores, ora referido, envolve a instrumentalização e orientação para que estes se adaptem ao cuidado domiciliar; e pode ser desenvolvido pelo enfermeiro.5 Portanto, esse profissional deve atentar para essa realidade, a fim de que possa assumir a co-responsabilidade no cuidado aos idosos, sobretudo no âmbito da atenção primária de saúde.20 Crê-se que um cuidador devidamente preparado possa, com isso, obter repercussões positivas na sua QV, uma vez que ele será instruído à gestão de horário e as formas eficientes de planejamento, execução e avaliação de cuidados; restando-lhe, assim, tempo e disposição para cuidar de si mesmo e da sua vida particular.

A conclusão deste estudo é que a percepção dos cuidadores de octogenários sobre a qualidade de vida não é satisfatória, particularmente no que se refere aos aspectos ambientais e físicos, como segurança diária e dor, respectivamente. Nessa perspectiva, crê-se que atividades relacionadas à função de cuidador podem repercutir negativamente na vida dos que assumem tais atribuições.

A implicação prática que o estudo apresenta é indicar que a práxis dos profissionais de enfermagem atuantes na gerontogeriatria deve ser aperfeiçoada para suprir a necessidade de apoio aos cuidadores de octogenários, buscando melhorar sua QV e, por sua vez, os cuidados prestados aos idosos, uma vez que, como apontam os resultados deste estudo, os cuidadores são majoritariamente não profissionalizados. O estudo também traz importante contributo à saúde pública, uma vez que aborda aspectos epidemiológicos importantes para a criação e aperfeiçoamento de políticas de saúde que envolve o binômio cuidador/octogenário, uma vez que permite um corpus de dados que pode ser utilizado para formulação e testagem de hipóteses em estudos futuros. Por fim, apesar das importantes contribuições dessa investigação para o conhecimento da área, indicam-se como limitações do estudo o seu desenho transversal, o pequeno tamanho da amostra e a proporção majoritária de participantes mulheres. Tais condições da pesquisa podem diminuir o poder de generalização dos resultados para outras populações semelhantes.

 

REFERÊNCIAS

1. Araújo I, Paúl C, Martins M. Living older in the family context: dependency in self-care. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(4): 869-75.

2. Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Populacional 2010. [Internet]. Rio de Janeiro; 2010 [cited May 15, 2012]. Available from:http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=2018&id_pagina=1

3. Rosset I, Roriz-Cruz M, Santos JLF, Haas VJ, Fabrício-Wehbe SCC, Rodrigues RAP. Socioeconomic and health differentials between two community-dwelling oldest-old groups. Rev saúde pública. 2011; 45(2):391-400.

4. Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeção da população do Brasil por sexo e idade, 1980 - 2050: revisão 2008. Rio de Janeiro: IBGE; 2008.

5. Gaioli CCLO, Furegato ARF, Santos JLF. Perfil de cuidadores de idosos com doença de Alzheimer associado à resiliência. Texto Contexto Enferm. 2012; 21(1):391-400.

6. Reis LA, Brasileira AC, Torres GV, Reis LA, Mascarenhas CHM. Relação entre o cuidado ao idoso e o estado de saúde e social do cuidador. Rev Enferm UFPE on line. 2011; 5(8):1905-10.

7. Arango DC, Cardona AMS, Fernández DYB, Molina JO, Martínez AA. Características demográficas y sociales del cuidador en adultos mayores. Investig Andin. 2011; 13(22):178-93.

8. Velásquez V, López L, López H, Cataño N, Muñoz E. Efecto de un programa educativo para cuidadores de personas ancianas: una perspectiva cultural. Rev Salud Pública. 2011; 13(3):458-69.

9. Cartaxo HGO, Gaudêncio MMP, Araújo RA, Abrão FMS, Freitas CMSM. Quando o cuidar dói: desvelando sentimentos de um ser que cuida. Rev Enferm UFPE on line. 2012; 6(1):89-96.

10. Silva PCS, Terra FS, Coelho JI, Reis TC, Martins VMN. Principais dificuldades encontradas pelos cuidadores de pacientes com a doença de alzheimer. Rev Enferm UFPE on line. 2012; 6(5):1086-93.

11. Kluthcovsky AC, Kluthcovsky F. O WHOQOL-bref, um instrumento para avaliar qualidade de vida: uma revisão sistemática. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul [Internet]. 2009 [cited May 16, 2012]; 31(3):. Available from:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010181082009000400007&lng=en&nrm=iso&tlng=pt

12. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução nº 466/12 de 12 de dezembro de 2012. Pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

13. Wakefield BJ, Hayes J, Boren SA, Davis YPJW. Strain and satisfaction in caregivers of veterans with chronic illness. Res Nurs Health. 2012; 35(1):55-69.

14. Camargos EF, Souza AB, Nascimento AS, Silva ACM, Quintas JL, Louzada LL, et al. Use of psychotropic medications by caregivers of elderly patients with dementia: is this a sign of caregiver burden? Arq Neuropsiquiatr. 2012; 70(3):169-74.

15. Paulo MG, Teixeira AR, Jotz GP, Barba MC, Bergmann RS. Avaliação da qualidade de vida de cuidadores de idosos portadores de deficiência auditiva: influência do uso de próteses auditivas. Arq int Otorrinolaringol. 2008; 12(1):28-36.

16. Nickel R, Lima AP, Navarro EJ, Pinto LM, Teive HAG, Becker N. Correlação entre a qualidade de vida de cuidadores familiares e os níveis de independência funcional dos cuidados. Cogitare Enferm. 2010; 15(2):225-30.

17. Oliveira DC, Carvalho GSF, Stella F, Higa CMH, D'Elboux MJ. Qualidade de vida e sobrecarga de trabalho em cuidadores de idosos em seguimento ambulatorial. Texto Contexto Enferm. 2011; 20(2):234-40.

18. Inouye K, Pedrazzani ES, Pavarini SCI, Toyoda CY. Perceived quality of life of elderly patients with dementia and family caregivers: evaluation and correlation. Rev Latino-Am Enfermagem. 2009; 17(2):187-93.

19. Borghi AC, Sassá AH, Matos PCB, Decesaro MN, Marcon SS. Qualidade de vida de idosos com doença de Alzheimer e de seus cuidadores. Rev Gaúch Enferm. 2011; 32(4):751-8.

20. Arnedo CF, García JMS, Batalla MF, Guerra RS. The value of nursing care in the paradigm of chronicity and dependency. New roles and redesigns. Invest Educ Enferm. 2014; 32(3):488-97.

Abstract : 297

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project