Documento sin título

ARTÍCULO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE / ARTIGO ORIGINAL

 

Software educativo e melhoria do conhecimento de escolares sobre prevenção de sobrepeso e obesidade

 

Educational software and improvement of first grade school students’ knowledge about prevention of overweight and obesity

 

Software educativo y mejoramiento del conocimiento de los escolares sobre la prevención del sobrepeso y la obesidade

 

 

Luana Santos Vital Alves Coelho1; Felipe Roner Vilanova Novais2; Giulia Armaneli Macedo3; Júlia Nunes Neves dos Santos4; Vinícius Lara Sousa5; Luis Augusto Mattos Mendes6; Daniel Morais dos Reis7; Márcia Christina Caetano Romano8

 

1Estudante de Enfermagem. Universidade Federal de São João del Rei – UFSJ – Campus CCO – Dona Lindu – Divinópolis, MG, Brasil. email: luanavitalcoelho@yahoo.com.br

2Estudante do Curso Técnico de Informática. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET- Divinópolis, MG, Brasil. email: feliperonervn@live.com

3Estudante do Curso Técnico de Informática. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET- Divinópolis, MG, Brasil. email: giulia-armaneli@hotmail.com

4Estudante do Curso Técnico de Informática. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET- Divinópolis, MG, Brasil. email: julianunesara@hotmail.com

5Estudante do Curso Técnico de Informática. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET- Divinópolis, MG, Brasil. email: viniciusousalara@gmail.com

6Tecnólogo em Processamento de Dados. Mestre em Educação. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET- Divinópolis, MG, Brasil. email: lamendes@gmail.com

7Graduado em Sistemas de Informação.Mestre em Modelagem Matemática e Computacional. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais – CEFET- Divinópolis, MG, Brasil. email: daniel.morais@gmail.com

8Enfermeira. Doutora. Universidade Federal de São João del Rei – UFSJ - Campus CCO – Dona Lindu – Divinópolis-MG, Brasil.email: marciachristinacs@gmail.com

 

Fecha de Recibido: Agosto 19, 2015. Fecha de Aprobado: Diciembre 4, 2015.

 

Artículo vinculado a investigación: Efeitos de um software educativo no conhecimento de escolares sobre prevenção de sobrepeso e obesidade.

Subvenciones: Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais – FAPEMIG – Edital003/2013/PROPE – PPC/Fapemig/UFSJ

Conflicto de intereses: Ninguno.

Cómo citar este artículo: Coelho LSVA, Novais FRV, Macedo GA, Santos JNN, Sousa VL, Mendes LAM, Reis, DM, Romano MCC. Educational software and improvement of first grade school students’ knowledge about prevention of overweight and obesity. Invest. Educ. Enferm. 2016; 34(2):351-359.

doi:10.17533/udea.iee.v34n2a15

 


RESUMO

Objetivo.Avaliar os efeitos da utilização de um software educativo na melhoria de conhecimento dos escolares sobre prevenção de sobrepeso e obesidade. Métodos. Ensaio não controlado com avaliação antes e depois, realizada em uma escola municipal de Divinópolis (Brasil). Participaram 71 escolares com idade entre 6 e 10 anos. O software educativo sobre prevenção de sobrepeso e obesidade foi construído e validado. A intervenção educativa foi constituída pela utilização deste software. Antes e depois da intervenção foi aplicado um questionário baseado nos Dez Passos da Alimentação Saudável da Criança, proposta pelo Ministério da Saúde. Resultados. Comparando os momentos antes e depois da utilização do software educativo se observaram diferenças estatisticamente significativas na proporção de perguntas respondidas corretamente pelos escolares, especialmente no que se refere à ingesta diária de alimentos saudáveis e não saudáveis, preparação adequada de alimentos e importância da atividade física. Conclusão. O presente estudo ressalta a importância das ações educativas por meio de um software na construção de conhecimento dos escolares acerca da prevenção de sobrepeso e obesidade.

Palavras chave: criança; educação em saúde; sobrepeso; obesidade; instituições acadêmicas; software.


ABSTRACT

Objectives.To evaluate the effects of educational software to improve first grade school students' knowledge about prevention of overweight and obesity. Methods. This non-controlled trial with a before-and-after evaluation was carried out in an school located in the municipality of Divinópolis (Brazil) among 71 students aged 6 to 10 years. The educational software about prevention of overweight and obesity was designed and then validated. The educational intervention comprised the use of the software. Before and after of the intervention we applied a questionnaire based on the Ten Steps to Healthy Eating for Children, proposed by the Brazilian Ministry of Health. Results. Comparing the times before and after application of the educational software, we observed statistically significant differences in proportion of questions answered correctly by first grade school students, mainly concerning daily eating of healthy and unhealthy food, adequate preparation of food and importance of exercise. Conclusion. This study highlights the importance of educational actions using software to build knowledge of first grade school students about prevention of overweight and obesity.

Key words: child; health education; overweight; obesity; schools; software.


RESUMEN

Objetivo.Evaluar los efectos de la utilización de un software educativo en el mejoramiento del conocimiento de los escolares sobre la prevención del sobrepeso y la obesidad. Métodos. Ensayo no controlado con evaluaciones antes y después, realizado en una escuela municipal de Divinópolis (Brasil). Participaron 71 escolares con edades entre 6 y 10 años. El software educativo sobre prevención del sobrepeso y la obesidad se construyó y validó. La intervención educativa estuvo constituida por la utilización del software. Antes y después de la intervención se aplicó un cuestionario basado en los Diez pasos de la alimentación saludable de los niños,  propuesta por el Ministerio da Salud. Resultados. Comparando los momentos antes y después de la utilización del software educativo, se observaron diferencias estadísticamente significativas en la proporción de preguntas contestadas correctamente por los escolares, en especial, en lo que se refiere a ingesta diaria de alimentos saludables y no saludables, preparación adecuada de alimentos y la importancia de la actividad física. Conclusión. El presente estudio resalta la importancia de las acciones educativas mediante la utilización de un software en la construcción de conocimiento en los escolares acerca de la prevención del sobrepeso y de la obesidad.

Palabras clave: niño; educación en salud; sobrepeso; obesidad; instituciones académicas; programas informáticos.


 

INTRODUÇÃO

A obesidade e o sobrepeso são agravos do mundo contemporâneo cujo principal sinal é o acúmulo de tecido adiposo corporal. Podem ocasionar diversas doenças crônicas, incluindo diabetes, patologias cardiovasculares e câncer.1 Estão simultaneamente correlacionados com hipertensão arterial, dislipidemia, diabetes mellitus tipo 2 e outros fatores de risco para doenças coronarianas.2 Essas patologias são frequentes entre crianças e adolescentes em todo o mundo. No ano de 2013, mais de 42 milhões de crianças encontravam-se na condição de sobrepeso e obesidade.1  No Brasil, a obesidade e o sobrepeso são presentes tanto no ambiente rural quanto no urbano, sobretudo em crianças e adolescentes com baixo nível de atividade física.3 Estudo realizado no Rio Grande do Sul mostrou que escolares em zona rural obtiveram maior prevalência de obesidade (22.7%) quando comparados com os da área urbana (13.6%).4 Uma investigação também com escolares na região sul do país não identificou diferença significativa na prevalência de sobrepeso e obesidade entre zona rural e área urbana.5 Os pesquisadores corroboram a justificativa para o excesso de peso em escolares considerando o acesso a alimentos industrializados, o sedentarismo e a transição nutricional.4,5

Ainda não está clara a relação entre fatores socioeconômicos e excesso de peso. Autores têm defendido que maior renda familiar e maior escolaridade materna não têm sido suficientes para promover a proteção da criança em relação ao excesso de peso. Isso se dá, talvez, pelo fato de maior acesso aos alimentos industrializados, bem como a mãe com maior escolaridade normalmente estar envolvida com atividades laborais que lhe ocupam grande parte do tempo.3 Outro fator é a permanência de crianças em frente à TV,pois influencia diretamente no hábito alimentar e promove o sedentarismo.6 Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as estratégias para prevenção e controle dessas patologias devem envolver elementos ambientais que afetam o status de peso da comunidade, indivíduos e grupos que estão em risco e protocolos de controle para indivíduos obesos. Tais estratégias devem ser fáceis, acessíveis e com metodologias atrativas para cada faixa etária, tendendo a ter um impacto maior sobre o controle eficaz em longo prazo da obesidade.7Estratégias atuais de educação em saúde com ferramentas mais modernas, sobretudo com a utilização de metodologias interativas, têm sido indicadas como positivas para a aquisição de habilidades e conhecimentos na infância e adolescência. De fato, o uso direcionado e acompanhado do videogame, por exemplo, tem sido demonstrado em estudos como um método eficaz para o aperfeiçoamento de habilidades cognitivas e perceptivas, sendo os jogos educacionais apontados como uma experiência benéfica aos seus usuários.8 Outro estudo utilizou jogo educativo digital com estudantes do 1º ano do ensino médio e demonstrou que tal estratégia pedagógica gerou um grande estímulo à aprendizagem na área de língua portuguesa e em outras disciplinas.9 Além disso, pesquisa com escolares visando à prevenção de parasitoses intestinais ratificou que crianças que realizaram o jogo apresentaram um acréscimo significativo no conhecimento que possuíam sobre hábitos de saúde para prevenção das verminoses.10

Metodologias interativas são cruciais na construção do conhecimento. Por proporcionarem maior interesse e participação de crianças e adolescentes, são capazes de acionar conhecimentos prévios sobre o assunto em questão, elaborando-os, dando-lhes um novo significado e favorecendo mudanças de comportamento.  Desse modo, as metodologias ativas são relevantes na prevenção de agravos e na promoção da saúde.11 Nessa direção, acreditando no potencial das metodologias interativas como ferramenta de educação em saúde, propõe-se este estudo com o objetivo de avaliar o efeito de um software educativo sobre o conhecimento de escolares acerca da prevenção do sobrepeso e da obesidade.

METODOLOGIA

Trata-se um estudo quantitativo, ensaio não controlado com avaliações antes e depois,  realizado em uma escola municipal de Divinópolis que oferece ensino fundamental.  A pesquisa se deu em duas etapas.  Na primeira, a linha de base, o software educativo foi confeccionado e validado a partir do Método de Reeves. Este método baseia-se em 14 critérios pedagógicos, incluindo aspectos epistemológicos, papel do instrutor, valorização do erro, dentre outros.  Fundamenta-se também em 10 critérios de interface com o usuário, como facilidade de uso, navegação e design de tela. O modelo pedagógico subjacente ao software considerou a filosofia pedagógica construtivista freiriana.12,13 A interface gráfica do software foi implementada através das linguagens de marcação HTML 514 e CSS 3,15 sendo a programação feita nas linguagens Java 716 e Javascript17 e o banco de dados no MySQL 5.1.18 O software consiste em 3 módulos. O primeiro relaciona-se com a interface web para acesso do usuário, cadastro, manutenção e análise de dados. O segundo refere-se ao jogo interativo, em que o usuário tem o objetivo de coletar alimentos e responder às questões referentes a hábitos saudáveis de alimentação para acumular pontos. O terceiro é a webservice que faz a conexão entre o jogo interativo e a interface web do software. Este encontra-se disponível para acesso gratuito em http://www.sistemasaladamista.com.br

O conteúdo do software educativo contemplou questões a serem respondidas pelos escolares acerca da alimentação saudável para essa faixa etária, conforme os Dez Passos Para Alimentação Saudável da Criança propostos pelo Ministério da Saúde19 A validação ocorreu a partir da utilização e avaliação do software por 15 professoras com formação na área de pedagogia, de acordo com os critérios propostos pelo Método de Reeves.12 Foi aplicado questionário estruturado, com linguagem adequada para a idade dos participantes, contendo nove questões objetivas relativas à prevenção do sobrepeso e obesidade, conforme os Dez Passos Para Alimentação Saudável da Criança propostos pelo Ministério da Saúde.19 Posteriormente, o software educativo foi disponibilizado para utilização dos escolares do estudo, 71 crianças na faixa etária de 6 a 10 anos. Na segunda etapa, 1 mês após a utilização do software pelos escolares, foi aplicado novamente o questionário.

A escolha da faixa etária de 6 a 10 anos se deu a partir dos princípios pedagógicos eleitos para a elaboração do software, principalmente no que tange aos conhecimentos previamente adquiridos pelos participantes deste grupo relacionados à capacidade de leitura e interpretação. O projeto foi apresentado aos pais e responsáveis e solicitada a autorização para a participação dos escolares. Uma vez obtida a autorização, as crianças foram abordadas em suas classes, momento em que o projeto foi apresentado, sendo essas convidadas a participar, respondendo ao questionário e utilizando o software no laboratório da escola. A tabulação e a análise dos dados obtidos foram realizadas utilizando-se o ProgramaStatistical Package for Social Science- SPSS versão 15.0. Realizou-se análise descritiva, com objetivo de comparar as variáveis em dois tempos diferentes (antes e após as intervenções), sendo aplicados os Testes Mc Nemar e Mc Bowker, adotando-se o nível de significância de 5 %. A pesquisa respeitou todos os preceitos éticos da Resolução 466/2012. Foi aprovada pelo Comitê de ética em Pesquisa com Seres Humanos da UFSJ, CAAE 32787614.9.0000.5545.

 

RESULTADOS

Os participantes do estudo totalizaram 71 indivíduos, alunos do ensino fundamental, sendo a maioria (50.7%) do sexo feminino. Tinham, predominando a idade de 8 anos (38.0%). Os resultados deste estudo mostram que houve melhoria no conhecimento dos escolares acerca da prevenção da obesidade e do sobrepeso, no que tange a os hábitos alimentares, após a utilização do software educativo. Sobre a frequência preconizada de refeições diárias, observou-se que na segunda etapa, houve maior percentual de escolares que reconheceram como saudável a ingestão de 3 refeições ao dia (50.7%) (Tabela 1).

A respeito do conhecimento dos participantes acerca da ingestão diária de alimentos não saudáveis, um maior número de escolares, após a utilização do software, admitiu que a ingesta diária de refrigerante (94.4%), biscoito recheado (99.0%), bala (90. 1%), bombom (94.4%), bolacha (78.9%), salgadinho (94.4%) retrata um hábito alimentar não saudável (Tabela 1). Sobre a melhor forma de preparo dos alimentos, foi possível identificar que houve um aumento no número de escolares que consideraram ser mais saudável cozinhar os alimentos (80.3%) (Tabela 2).

No conhecimento acerca da atividade considerada saudável, houve um aumento significativo de escolares, na segunda etapa do estudo, que identificaram as atividades jogar videogame (81.7%), assistir TV (84.5%) e brincar no computador (80.3%)como práticas não saudáveis. Houve também um aumento significativo de indivíduos que julgaram andar de bicicleta (90.1%)e jogar bola (80.3%) como atividades saudáveis (Tabela 3).

Alguns conhecimentos estavam corretos na primeira etapa do estudo, como por exemplo, ingesta diária de arroz, de milho, de pães e de água e se mantiveram corretos após a intervenção. Desse modo, para esses conhecimentos, não houve significância estatística nas etapas.

Tabela 1.

Tabela 2.

Tabela 3.

 

DISCUSSÃO

Este estudo mostrou que o software educativo foi relevante na construção e reelaboração de conhecimentos dos escolares acerca de hábitos de vida saudáveis relacionados à alimentação. Corroborando nosso estudo, pesquisa recente aponta que o uso de software educativo contribui para o aprendizado por apresentar recursos visuais que promovem melhor assimilação do conteúdo proposto.20 De fato, tem sido evidenciado que proporcionar acesso aos escolares às informações sobre alimentação saudável favorece a aquisição de conhecimentos sobre o tema.21 O uso direcionado e acompanhado do videogame, por exemplo, tem sido apontado como um método eficaz para o aperfeiçoamento de habilidades cognitivas e perceptivas, assim como os jogos educacionais são uma experiência benéfica aos seus usuários.22 Outro estudo utilizou jogo educativo digital com estudantes do 1º ano do ensino médio e evidenciou que tal estratégia pedagógica gerou um grande estímulo à aprendizagem na área de língua portuguesa e em outras disciplinas.8

Sobre o conhecimento dos escolares acerca da alimentação saudável, muitos deles consideraram ser saudável, na primeira etapa do estudo, ingerir diariamente refrigerante, biscoito recheado, bala, bombom, bolacha, salgadinho. Do mesmo modo, estudo realizado com adolescentes, utilizando os Dez Passos Para Alimentação Saudável mostrou que esses não aderiam ao passo que preconizava evitar a ingestão de refrigerantes, sucos industrializados e doces.23 Esses achados ilustram que estratégias que favoreçam refletir sobre os alimentos considerados não saudáveis são importantes para um comportamento alimentar adequado. Na mesma linha da utilização dos Dez Passos Para a Alimentação Saudável, ensaio clínico randomizado usando tais recomendações mostrou que houve mudanças nos hábitos alimentares e em condições de saúde da criança.24 Nessa direção, estudo aponta a relevância de ações educativas na infância, no sentido de promover a aquisição de hábitos alimentares adequados, impactando na redução de custos com doenças e hospitalizações, além de favorecer a qualidade de vida das crianças.25 De fato, discutir sobre a temática é importante, não somente com as crianças, mas também com as pessoas responsáveis pela preparação dos alimentos. Uma investigação que avaliou o impacto da capacitação de proprietários de cantinas acerca da alimentação saudável mostrou que houve uma melhor escolha de lanches a serem oferecidos as crianças após a intervenção educativa.26

Nosso estudo também é relevante no aspecto relacionado à melhoria do conhecimento sobre a importância da atividade física, pois revisão sistemática da literatura atual mostrou que a atividade física diminui o índice de massa corporal em escolares.27 Do mesmo modo, o conhecimento sobre o preparo dos alimentos foi melhorado após a intervenção educativa proposta neste estudo, uma vez que a maior parte das crianças na segunda etapa demonstrou acreditar que cozinhar é a forma mais saudável de preparar os alimentos. Esse resultado é bastante relevante, pois o preparo de alimentos está permeado por questões de ordem cultural, de difícil manejo, como foi evidenciado em estudo sobre agravos nutricionais.28   Importante reforçar os benefícios das metodologias interativas na promoção da saúde e prevenção dos agravos. Tais metodologias ultrapassam os métodos tradicionais de ensino, buscando ampliar os conhecimentos prévios da criança, ressignificando-os.29 Estudo revela que projetos para implantação de hábitos nutricionais saudáveis  devem apresentar multifaces e serem contínuos exibindo metodologias interativas para a construção do conhecimento.30

A conclusão deste estudo é que o software educativo elaborado promoveu a melhoria de conhecimento de escolares acerca da prevenção de sobrepeso e obesidade. Este trabalho ressalta a importância das ações educativas que abrangem o conhecimento dos escolares com enfoque na alimentação saudável visando à prevenção do sobrepeso e obesidade. Destaca-se que a educação em saúde por meio do software permitiu reforçar a construção de conhecimentos prévios acerca da alimentação saudável adequada e reconstruí-los a partir das informações científicas ofertadas. Desta forma, a continuidade da aplicação do software para a manutenção de conhecimentos seria essencial para um comportamento saudável dos escolares. Destaca-se, enquanto limitação do estudo, o caráter temporário da aplicação do software educativo na escola. Considerando que para ocorrer efetiva mudança de comportamento é necessário que a intervenção seja contínua, o que não aconteceu na presente investigação. Outros estudos tornam-se necessários para avaliar além do aprimoramento do conhecimento das crianças acerca da alimentação saudável, o comportamento desses escolares acerca da temática proposta. Os resultados deste estudo contribuíram para identificar o quão se faz importante a realização de atividades educativas interativas na infância, sendo o software educativo instrumento relevante para a práxis da enfermagem, no que tange à educação nutricional com escolares.

Agradecimentos: agradecemos ao Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET- Divinópolis, MG pelo apoio no que tange à programação do software educativo e à Fundação de Amparo à Pesquisa - FAPEMIG e UFSJ pelo financiamento do projeto.

 

REFERÊNCIAS

1. World Health Organization. Obesity and Overweight. [Internet]. Genebra. 2015 [cited 5 Jan 2015]. Avaliable from:http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs311/en/

2. Pelegrini A, Silva DAS, Petroski EL, Glaner MF. Estado nutricional e fatores associados em escolares domiciliados na área rural e urbana. Rev. Nutri.Campinas. 2010; 23(5):839-46.

3. Souza MCC, Tibúrcio JD, Bicalho JMF, Rennó H MS, Dutra JS, Campos L G et al . Factors associated with obesity and overweight in school-aged children. Texto Contexto - Enferm. 2014; 23(3):712-9.

4. Panazzolo PR, Finimundi HC, Stoffel MOS, Simon RA, Lima MC, Costanzi CB. Prevalência de sobrepeso e obesidade em escolares do município de Feliz, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev. Bras. Med. Fam. Comunidade. 2014; 9(31):142-8.

5. Delwing KBB, Rempel C, Bosco S M D. Prevalência de sobrepeso e obesidade em escolares entre 6 e 11 anos de um município do interior do RS. ConScientiae Saúde, 2010;9(2):173-8.

6. Fiates GMR, Amboni RDMC, Teixeira E. Comportamento consumidor, hábitos alimentares e consumo de televisão por escolares em Florianópolis. Rev. Nutri.Campinas. 2008; 21(1):105-14.

7. Organização Mundial de Saúde. Organização Mundial da Saúde. Obesidade: prevenindo e controlando una epidemia global: informe de la consultoria la OMS. São Paulo: Editora Roca; 2004

8. Alves L, Carvalho AM. Videogame: é do bem ou do mal? Como orientar pais. Psicol. Estud. 2011; 16(2):251-8.

9. Araújo NMS, Ribeiro FR, Santos SF. Jogos pedagógicos e responsividade: ludicidade, compreensão leitora e aprendizagem. Bakhtiniana, São Paulo. 2012; 7(1): 4-23.

10. Toscani NV, Santos AJDS, Silva LLM, Tonial CT, Chazan M, Wiebbelling AMP et al . Desenvolvimento e análise de jogo educativo para crianças visando à prevenção de doenças parasitológicas. Interface. 2007; 11(2):281-94.

11. Maia ER, Junior JFL, Pereira JS, EloiAC, Gomes CC, Nobre MMF. Validação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na promoção da saúde alimentar infantil. Rev. Nutr., Campinas. 2012; 25(1):79-88.

12. Botti NCL, Carneiro ALM, Almeida CS, Pereira CBS. Construção de um software educativo sobre transtornos da personalidade. Rev. Bras. Enferm. 2011; 64(6):1161-6.

13. Gadotti M. Liçoes de Freire. Rev. Fac. Educ [Internet]. 1997; 23(1-2) [Cited: 12 Oct 2015]. Available from:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-25551997000100002

14. W3C HTML. The Web's Core Language. [Cited: 12 Oct 2015]. Available from:http://www.w3.org/html/ .

15. Cascading Style Sheets home page. Cited: 12 Oct 2015]. Available from:http://www.w3.org/Style/CSS/ .

16. Java Software | Oracle. [Cited: 12 Oct 2015]. Available from:https://www.oracle.com/java/index.html .

17. JavaScript.com. [Cited: 12 Oct 2015]. Available from:https://www.javascript.com/ .

18. MySQL: The world's most popular open source database. [Cited: 12 Oct 2015]. Available from:https://www.mysql.com/ .

19. Brasil. 2013. Ministério da Saúde. Caderneta de saúde da criança [Cited: 12 Oct 2015]. Available from:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderneta_saude_crianca_menino.pdf.

20. Lopes ACC, Ferreira AA, Fernandes JAL, Morita ABPS, Poveda VB, Souza AJS. Construção e avaliação de software educacional sobre cateterismo urinário de demora. Rev. Esc. Enferm. USP. USP 2011; 46(1):216-22.

21. Detregiachi CRP, Braga TMS. Projeto "criança saudável, educação dez" resultados com e sem intervenção do nutricionista. Rev. Nutr. 2011; 24(1):51-9.

22. Araújo NMS, Ribeiro FR, Santos SF. Jogos pedagógicos e responsividade: ludicidade, compreensão leitora e aprendizagem. Bakhtiniana, São Paulo. 2012; 7(1):4-23.

23. Couto AF, Madruga SW, Neutzling MB, Silva MC. Frequência de adesão aos "10 Passos para uma Alimentação Saudável" em escolares adolescentes. Ciênc. Saúde. coletiva. 2014; 19(5):1589-99.

24. Vitolo MR; Bortolini GA; Feldens CA; Drachler ML. Impactos da implementação dos dez passos da alimentação saudável para crianças: ensaio de campo randomizado. Cad. Saúde Pública. 2005; 21(5):1448-57.

25. Carmo MCL, Castro LV, Novaes JF. Educação Nutricional para pré-escolares: uma ferramenta de intervenção. EmExtensão, Uberlândia. 2013; 12(2):64-74.

26. Amorim NFA, Schmit BAS, Rodrigues MLCF, Recine EGI, Gabriel CG. Implantação da cantina escolar saudável em escolas do Distrito Federal, Brasil. Rev. Nutr., Campina. 2012; 25(2):51-9.

27. Friedrich RR, Schuch I, Wagner MB. Efeito de intervenções sobre o índice de massa corporal em escolares. Rev Saúde Pública 2012; 46(3):551-60.

28. Lima APE, Javorski M, Amorim RJM, Oliviera AC, Vasconcelos AGL. Práticas alimentares no primeiro ano de vida: representações sociais de mães adolescentes. Rev.Bras. Enferm. 2014; 67(6):965-71.

29. Marin MJS, Lima EFG, Paviotti AB, Matsuyama DT, Silva LKD, Gonzalez C. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das Metodologias Ativas de Aprendizagem. Rev. Bras. Educ. Med. 2010;34(1):13 -20.

30. Bernart A, Zanardo VP.S. Educação nutricional para crianças em escolas publicas de Erechim/RS. Vivências. 2011; 7(13):71-7.

 

Abstract : 638

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project