Postpartum physical exercises proposal. A focus on the obstetrician nurse role

Alessandra Bazaglia Martins, Juliana Ribeiro, Zaida Aurora Sperli Geraldes Soler

Abstract


Objective. To evaluate oriented physical exercises utility in the postpartum period by the obstetrician nurse.

Methodology. Bibliographic research of national and international publications and information research in the Health Virtual Library BIREME of Brazil, and the Sao José do Rio Preto Faculty of Medicine- FAMERP library.

Results. Literature analysis showed that obstetrician nurses guide pregnant women about physical exercises recommended for them, contributing to puerperal mothers’ integral care. They also provide education in self care, prevention and early detection of complications. It helps to improve their quality of life and body image.

Conclusion. Physical exercises practice during the puerperium can be guided by the obstetrician nurse and it should be included among the integral care interventions to women during the gravidic-puerperal cycle.

Key words: postpartum period; body image; exercise; postnatal care.

 

How to cite this article: Martins AB, Ribeiro J, Soler ASG. Proposta de exercícios físicos no pós-parto: um enfoque na atuação do enfermeiro obstetra. Invest Educ Enferm.2011;29(1):40-45


References


(1) Carvalho Mota G. Enfermagem em obstetrícia. São Paulo: EPU; 2002. p. 179-202.

(2) De Souza Baracho EL. Fisioterapia aplicada á obstetrícia. 3ª ed. Rio de Janeiro: Medsi; 2003. p. 216-7.

(3) Brasil. Ministério da saúde. Secretaria de Políticos de Saúde. Área Técnica de Saúde da Mulher. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília: Ministério da Saúde; 2001. p.199.

(4) Barros SM. Enfermagem Obstétrica e Ginecológica. São Paulo: Roca; 2002. p.262-269.

(5) Ribeiro JL, Leal I, Dias MR. Tercer Congresso Nacional de Psicologia da Saúde. Dificuldades da mulher no puerpério e apoio nesse período. Lisboa: Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA); 2000.

(6) Whiteford B, Polden M. Exercícios pós-natais: um programa de seis meses para a boa forma da mãe e do bebê. São Paulo, Maltese; 1992. p.1-79.

(7) Springhouse Corporation. Enfermagem no cuidados materno e neonatal: série incrivelmente fácil. Rio de Janeiro: Guanabara; 2005. p.391-407.

(8) Mesquita LA, Machado A, Andrade A. Fisioterapia para redução da diástase dos músculos retos abdominais no pós – parto. Rev Bras Ginecol Obstet. 1999;21(5):267-72.

(9) Rett M, Simões JA, Herrmann V, Marques A, Morais S. Existe Diferença na contratilidade da musculatura do assoalho pélvico feminino em diferentes posições?. Rev Bras Ginecol Obstet. 2005;27(1):69-72.

(10) Matheus LM, Mazzari CF, Oliveira J, Mesquita RA. Influência dos exercícios perineais e dos cones vaginais, associados á correção postural, no tratamento da incontinência urinária feminina. Rev Bras Fisioter. 2006;10(4):32-8.

(11) Guiselini M. Qualidade de vida: um programa prático para um corpo saudável. São Paulo: Gente; 1996. p.15-20.

(12) Cervo AL, Bervian PA. Metodologia Científica. 4ª ed. São Paulo: Afiliada; 1996.

(13) Polit DF, Hungler BP. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem. 3a ed. Porto Alegre: Artes Médicas; 1995. p.168-207.

(14) Branden PS. Assistência de enfermagem durante o período pós-parto: enfermagem Materno-Infantil. 2ª ed. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores; 2000. p.391-490.

(15) Camacho R, Cantinelli F, Ribeiro C, Cantilino A, Gonsales K, Braguittoni E, et al. Transtornos psiquiátricos na gestação e no puerpério: classificação, diagnóstico e tratamento. Rev Psiquiatr Clín. 2006;33(2):55-9.

(16) Schwengher D. DS, Piccinini CA. O impacto da depressão pós-parto para a interação mãe – bebê. Estudos Psicol. 2003;8(3):403-11.

(17) Baião M, Deslandes S. Alimentação na gestação e puerpério. Rev Nutr. 2006; 19(2):68-77.

(18) Nettina SM. Prática de enfermagem. 8ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2007. p.1208-31.

(19) Stephenson RG, O`connor LJ. Fisioterapia aplicada à Ginecologia e Obstetrícia. 2ªed. São Paulo: Manole; 2004.

(20) Correa C. Diagnóstico de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2005-2006. 2ª ed. São Paulo: Artmed; 2006.

(21) Lacerda EM, Leal MC. Fatores associados com a retenção e o ganho de peso pós-parto: uma revisão sistemática. Rev Bras Epidemiol. 2004;7(2):45- 54.

(22) Ziegel EE, Cranley MS. Enfermagem Obstétrica. 8ª ed. Rio de Janeiro: Interamericana; 1985.

(23) Lima FR, Oliveira N. Gravidez e exercício. Rev Brás Reumatol. 2005;45(3):188-90.

(24) Ferreira CHJ, Nakano AMS. Lombalgia na Gestação. JHM. 1999;77(1):28-35.

(25) Vieira JL, Porcu M, Rocha PG. Prática de exercícios físicos regulares como terapia complementar ao tratamento de mulheres com depressão. J Bras Psiquiatr. 2007;56(1):23-8.

(26) Lima FR, Oliveira N. Gravidez e exercício. Rev Brás Reumatol. 2005;45(3):188-90.

(27) Zagoneli IPS, Martins M, Pereira KF, Athayde JO. Cuidado humano diante da transição ao papel materno: vivências no puerpério. Rev Eletron Enferm. 2003;5(2):24-32.

(28) Maranhão AM. Atividades da enfermeira obstetra no ciclo gravídico-puerperal. 2a ed. São Paulo: EPU;2000. p.37.

(29) Silva D, De Souza M, Moreira V, Genestra M. Depressão pós-parto: prevenção e conseqüências. Rev Malestar e Subjetividade Fortaleza. 2003;(2):439-50.


Abstract : 338 PDF (PORTUGUÊS) : 722 HTML (PORTUGUÊS) : 573

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Esta publicación hace parte del Sistema de Revistas de la Universidad de Antioquia
¿Quieres aprender a usar el Open Journal system? Ingresa al Curso virtual
Este sistema es administrado por el Programa Integración de Tecnologías a la Docencia
Universidad de Antioquia
Powered by Public Knowledge Project